TRE-SP não aceita transferência de domicílio de Moro

A candidatura do ex-juiz federal, Sérgio Moro (União Brasil), a qualquer cargo público está cada vez mais inviável. Por quatro votos contrários e dois a favor, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo julgou improcedente a transferência de domicílio eleitoral do magistrado que condenou Lula (PT) à prisão.

Quem fez o pedido de impedimento do ex-ministro da Justiça foi justamente a legenda do petista, o Partido dos Trabalhadores, e o TRE-SP acolheu o recurso. Segundo o Tribunal, Moro não provou que tinha vínculo com o Estado para se candidatar por ele.

A corte eleitoral alegou que Moro não tinha muitas atividades ou eventos na capital paulista e ficou por isso mesmo.

Moro e a esposa, a advogada Rosângela Moro, são acusados de cometer crime eleitoral na transferência da residência.

O ex-magistrado e a mulher ainda não confirmaram se disputarão as eleições deste ano e qual o cargo pretendido.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários