Após determinação de Cármen Lúcia, Salles entrega passaporte à PF

O ex-ministro do Meio Ambiente do Governo Bolsonaro, Ricardo Salles, entregou o passaporte à Polícia Federal (PF), na sexta-feira (25). A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármem Lúcia, alegou que a apreensão do documento de viagem era necessária para, supostamente, impedir que o advogado saísse do Brasil, enquanto tramita na Corte processo contra ele.

- Para evitar a medida mais gravosa, ou seja, a prisão processual (preventiva), parece razoável decretar-se medida cautelar mais branda, consistente na proibição do advogado Ricardo de Aquino Salles de deixar o Brasil, para atingir a finalidade pretendida de apuração dos fatos em benefício da segurança pública e da defesa da sociedade - escreveu Cármem Lúcia na decisão. O pedido de apreensão foi protocolado pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros.

Salles é alvo de um inquérito que iniciou devido à notícia-crime do ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, que o acusou de estar obstruir de investigação ambiental e tentar atrapalhar uma apreensão de madeira, um dia antes de deixar o cargo.

Na época das acusações, Salles se defendeu e disse que Saraiva era grande amigo da ex-ministra do Meio Ambiente no Governo do PT, Marina Silva e que a denúncia não passava de articulação política.

O inquérito segue instaurado no STF e Cármem Lúcia é a relatora.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários