Tribunal de exceção na Bolívia condena Añez à prisão por "golpe contra Evo Morales"

A ex-presidente da Bolívia, Jeanine Añez, 54 anos, que está presa desde março de 2021, foi condenada a 10 anos de detenção, nesta sexta-feira (10), acusada de um suposto golpe contra o ditador Evo Morales.

O Tribunal de Exceção de La Paz, presidido pelo juiz Germán Ramos, alegou que Añez cometeu os crimes de "resoluções contrárias à Constituição e violação de deveres", sustentando que a Justiça está restauranto a "democracia" do país.

- Essa sentença prova todas as violações cometidas pela senadora Añez ao se proclamar presidente de Estado em violação ao artigo 169 da Constituição em matéria de sucessão constitucional e dos regulamentos da Câmara dos Deputados e do Senado - diz o Tribunal em nota.

Jeanine Añez assumiu o poder na Bolívia, em novembro de 2019. Evo Morales foi obrigado a deixar o país e foi para a Argentina. Quando voltou, efetuou um golpe contra a presidente e restaurou o estado ditatorial de governo.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários