Ex-diretor da Odebrecht diz que foi "pressionado" para denunciar Lula

Anos depois de denunciar o ex-presidente Lula (PT) na operação "Lava-Jato", Alexandrino de Alencar, um dos diretores da Odebrecht, uma das construtoras que ganhou contratos bilionários para efetuar obras em países com ditaduras esquerdistas, voltou atrás nas palavras e disse que só denunciou o ex-presidiário porque foi "pressionado".

O depoimento de Alexandrino foi dado no documentário "Amigo Secreto", que tenta dexsfazer todo o trabalho do Ministério Público e da Polícia Federal e passa a imagem de Lula como uma pessoa inocente, condenada por crime não cometido.

Na verdade, o processo contra Lula foi avaliado em três instâncias e, em todas elas, as provas contra ele foram consideradas suficientes. Nem o STF inocentou o petista. Ao contrário, nesta semana, o presidente da Corte, Luiz Fux, reafirmou que houve muita corrupção nos governos do PT e que a anulação das sentenças de Lula foram "mera formalidade".

Marcelo Odebrecht, um dos donos da empresa que delatou Lula, no entanto, mantém suas afirmações contra o petista até hoje.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários