Moraes diz que Justiça Eleitoral "não vai tolerar milícias digitais"

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, o próximo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse, nesta terça-feira (14), que a Justiça Eleitoral “não tolerará que milícias digitais e pessoais desrespeitem a vontade soberana do povo”.

Sugerindo que não vai aceitar dúvidas sobre o resultado das eleições de 2022, Moraes ainda acrescentou que todas as propostas e projetos dos possíveis candidatos "sérios" ao pleito "merecem esperança" e que não permitirá "discursos de ódio e notícias fraudulentas".

Informações falsas ao que o magistrado se refere são questionamentos sobre a eficácia, eficiência e segurança das urnas eletrônicas que o Departamento de Cibernética das Forças Armadas já comprovou ao TSE, que há fragilidades. E não apenas uma, mas várias. Apontaram tudo em relatório, que foi sumariamente descartado pela corte, alegando que não havia mais tempo para efetuar alterações.

Com a desconfiança pairando no ar, Moraes, que tomará posse da presidência do TSE em 16 de agosto, acredita que a censura aos candidatos de cargo público é a melhor forma de calar os cidadãos.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários