PF é mais rápida que decisão de Fux e traz a Brasília restos mortais de Dom Philips e Bruno Araújo

Antes que o suposto grupo de monitoramento criado por Luiz Fux, presidente do STF, tivesse tempo de fazer as malas e avaliar o trabalho de investigação, a Polícia Federal desmontou o mistério envolvendo o desaparecimento e morte do jornalista inglês Dom Philips e do indigenista Bruno Araújo, no Vale do Javari, dentro da Floresta Amazônica; onde a dupla se embrenhou para fazer matéria jornalística denunciando todos os negócios ilícitos cometidos na mata.

Nesta quinta-feira (16), os restos mortais dos dois homens chegou a Brasília para ser periciado pelo Instituto Nacional de Criminalística e confirmar as identidades.

Os irmãos Amarildo e Oseney da Costa Oliveira foram presos, suspeitos do crime.

Foi Amarildo quem confessou o assassinato da dupla, disse que haviam sido "decepados e incendiados" e indicou o local onde os restos mortais estavam enterrados.

Os irmãos estão à disposição da Justiça.

Já ao ministro Luiz Fux, apenas uma sugestão: Respeite a nossa Polícia Federal, senhor indicado por Dilma Roussef!

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários