"Tomaremos medidas mais duras contra a Petrobras", afirma Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), vai reunir os líderes partidários, nesta segunda-feira (20), para analisar proposta de taxação dos lucros da Petrobras e mudanças na política de preços praticada pela estatal. 

Em entrevista à Globonews, nesta sexta-feira (17), ele fez duras críticas ao novo aumento anunciado pela empresa: 5,18% na gasolina e 14,26% no diesel.

Lira também defendeu a renúncia do presidente da Petrobras, José Mauro Ferreira Coelho. 

"Estamos perplexos. Claramente esse anúncio é uma retaliação pela sua demissão. Está fazendo mal ao Brasil e à economia brasileira", disse Lira. 

O governo anunciou a demissão de Coelho no fim de maio, mas a substituição depende de nova assembleia de acionistas da empresa.

Na última quarta, a Câmara aprovou o PLP 18/22 encaminhado pelo Governo Bolsonaro, que torna os combustíveis serviços essenciais e limita a tributação de ICMS sobre o produto. O presidente da Casa criticou a "falta de sensibilidade" do conselho diretor da Petrobras pelo anúncio do reajuste decidido à pressas, durante o feriado de Corpus Christi. 

"Isso faz com que tenhamos que tomar medidas mais duras contra a Petrobras", afirmou.

Lira vai reunir o colégio de líderes para discutir como dobrar a taxação do lucro da empresa (CSLL) e alternativas à política de preços a Petrobras, atualmente indexada ao dólar. 

"A Petrobras não dá um sinal a diminuir seu lucro de 30%, está trabalhando para pagar dividendos a fundos de pensão internacionais. Não custava nada esperar resultados do que estamos fazendo para diminuir a inflação para os mais vulneráveis antes de anunciar novos aumentos", criticou.

Com a nova taxação, Lira espera reverter recursos para população e criar, por exemplo, "voucher combustível para caminhoneiro e taxistas".

Ainda na quinta-feira (16), Lira ligou pessoalmente para o presidente da Petrobras retroceder no anúncio dos aumentos, mas não foi ouvido. Ao final da conversa, ele mandou o seu recado.

- O ajuste trará consequências para a empresa - destacou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários