Cantora evangélica, Bruna Karla, sofre intolerância religiosa ao defender preceito bíblico

A cantora evangélica, bruna Karla, concedia entrevista ao podcast da apresentadora e atriz, Karina Bacchi, quando mencionou que não aceitou cantar no casamento de um amigo gay por não concordar com a união homoafetiva.

- Fui bem sincera e disse: “Ah, quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, eu vou sim (…)” - disse ao noivo.

E acrescentou:

- O dia que eu aceitar cantar em um casamento com outro homem, eu posso parar de cantar sobre a Bíblia e sobre Jesus - disparou.

Sem medo de ser "cancelada" ou sofrer represálias, a artista ainda deu uma palavra diretamente aos homossexuais que poderiam estar ouvindo o programa.

-  Aos meus queridos ouvintes homossexuais, o que Deus tem para a sua vida é libertação. O que Deus tem para a sua vida é o que Ele sonhou para você. Receba todo o meu amor, o meu respeito, porque Jesus não sonhou isso para você. Lá no julgamento, quando Jesus voltar, se ele estiver, ele vai falar: “Poxa, a Bruna andou comigo, ela sabia que eu estava errado, que o caminho que eu estava escolhendo era de morte eterna”. Eu chego a ficar emocionada porque se a gente abrir a nossa boca para dizer que você não vai para o céu… Gente, é morte eterna, inferno! Já imaginou viver uma condenação eterna? É para sempre que você vai viver aquilo. Acabou. É terrível! Aquele lugar é horroroso - destacou.

Entre os famosos que condenaram a fala da cantora, estão o ex-BBB Gil do Vigor e Valesca Popozuda.

- Pra que estragar seu casamento convidando ela? - disse a funkeira, que recentemente voltou a morar com a mãe, mas afirma não ser por questões financeiras.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários