Lancha de Bruno e Dom é encontrada afundada em rio do Amazonas

A Polícia Federal localizou a lancha na qual a dupla viajava quando foi emboscada e morta, no dia 5 de junho.

A embarcação estava submersa a cerca de 20 metros de profundidade no Rio do Itacoaí, próximo à comunidade Cachoeira (AM). O peso de ao menos seis sacos de areia presos à lancha a impediam de vir à tona, para que não fosse encontrada.

Junto à embarcação foram encontrados um motor de 40 hp e quatro tambores que eram usados por Bruno, conforme explicou o delegado Alex Perez, da 50ª Delegacia Interativa de Polícia de Atalaia do Norte (AM).

O local exato onde a lancha foi encontrada foi indicado por Jeferson da Silva Lima, o terceiro preso pela PF em virtude do crime.

O local onde estavam enterrados os “remanescentes humanos” foi revelado pelo pescador Amarildo da Costa Oliveira.

Ele confessou a participação no desaparecimento do indigenista e do jornalista britânico. 

Os restos mortais estavam enterrados em uma área de mata fechada, a cerca de 3 quilômetros da calha do Rio Itacoaí.

Além dos três suspeitos já detidos, a PF apura a participação de outras cinco pessoas na ocultação dos corpos. 

Não há indícios de que o crime tenha sido encomendado. Provavelmente, os criminosos teriam agido por iniciativa própria.

Agência Brasil

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários