Órgão que regula a natação no mundo proíbe trans em eventos femininos

A Federação Internacional de Natação (Fina) decidiu, no domingo (19), que atletas transgêneros não poderão mais participar em competições femininas.

Agora, nenhum homem que se identifique como sendo sexo feminino, mas que tenha passado a puberdade no masculino, poderá disputar títulos com atletas nascidas mulheres.

A determinação do Fina é mais importante do que todas as outras instituições esportivas e a Federação propõe que a medida seja colocada em prática o quanto antes.

Além da proibição, a Fina disse que abrirá uma "categoria" na qual todas possam participar juntas. Mas, apenas nessa disputa.

A determinação da Federação veio após a nadadora trans Lia Thomas se tornar campeã da National Collegiate Athletic Association (NCAA), na Universidade da Pensilvânia. Entretanto, no cenário masculino, quando a atleta ainda se identificava com o sexo oposto e concorria com homens, Thomas teve uma passagem medíocre; fazendo com que os avaliadores chegassem à conclusão de que Lia só levou o título porque era muito maior que as concorrentes.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários