Dias Toffoli e Cármen Lúcia desistem de vir a Gramado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, não participará da 26ª Jornada Internacional de Direito no formato presencial. O magistrado achou "melhor" palestrar sobre o Direito Constitucional por vídeo e, assim, não precisar encarar a platéia frente a frente.

A decisão veio semanas depois que o próprio presidente do STF, Luiz Fux, foi desconvidado de evento que faria parte em Bento Gonçalves, interior do Rio Grande do Sul. Na época, a seção OAB da região dos Vinhedos até se comprometeu a pagar as despesas para Fux se deslocar pra cidade. Porém, em virtude das possíveis manifestações que teria de enfrentar, ele desistiu.

Nesta terça-feira (21), a assessoria do Supremo, no entanto, alegou que Toffoli não irá à Serra Gaúcha porque "tem outros compromissos". A questão da segurança estaria fora de cogitação.

- Em razão de outros compromissos, desde o início de maio, quando o ministro aceitou o convite, já avisou que sua participação seria por videoconferência e não presencialmente. Não procede que tenha cancelado a viagem por questões de segurança - despistou.

Seguindo os passos dos colegas, Cármen Lúcia também resolveu se resguardar e não virá a Gramado na sexta-feira (24), participar do XII Congresso do Mercosul de Direito de Família e Sucessões. Falará sobre o papel do STF no direito de família e sucessões por meio de vídeoconferência.

A "salvação" dos magistrados rejeitados pela população brasileira é que existe o trabalho online. Mas, quando saem às ruas ou em viagem ao exterior, eles não escapam dos imprevistos causados por quem condena o seu ativismo judicial.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários