Pacheco e Randolfe se unem para abrir CPI do MEC

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), confessou a aliados políticos, nesta segunda-feira (28),que pretende abrir uma outra Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Desta vez, o congresso quer apurar

supostas denúncias de irregularides no Ministério da Educação (MEC), cujo comando foi de Milton Ribeiro.

Pacheco estaria eufórico para apresentar nova investigação contra o Governo do presidente Jair Bolsonaro (PL). Mas, para tornar o "sonho" realidade, ele terá que passar pela oposição dos próprios senadores que não veem motivo para abrir uma outra comissão às vésperas das eleições. Muitos deles, inclusive, tentam reeleição e precisariam se ausentar algumas vezes.

Além disso, Pacheco precisa de 27 assinaturas, fato concreto de irregularidade a investigar e orçamento para bancar a CPI, que não é barato!

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que foi vice-presidente da CPI da Covid, colegiado cujo relatório final não conseguiu aliar um "crime" a nenhum dos "acusados", disse que já conseguiu 28 assinaturas e jurou que vai protocolar pedido de CPI, nesta terça-feira (28).

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários