Wizard chega ao Brasil, entrega o passaporte à PF e prestará depoimento na quarta para a CPI da Covid

Carlos Wizard chegou ao Brasil, nesta segunda-feira (28). Ele veio dos Estados Unidos, onde estava desde março, acompanhando familiares em tratamento de saúde.

O empresário do ramo de idiomas foi convocado para depor na Comissão, nesta quarta-feira (30), por, supostamente, integrar um "gabinete paralelo", que aconselhava o presidente Jair Bolsonaro a tomar medidas ineficazes de combate à pandemia do coronavírus.

Após entregar o passaporte à sede da Polícia Federal, em Viracopos, onde desembarcou, o empresário seguiu para Brasília; já que o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), o transformou em investigado.

A defesa de Wizard, que já teve os sigilos quebrados, adiantou que ele "não tem nada a esconder".

Mórmons, Carlos Wizard e a esposa pretendem retornar aos Estados Unidos, assim que o depoimento dele for finalizado; uma vez que os familiares continuam tratamento de saúde em solo americano. O empresário até chegou a pedir para ser ouvido de forma remota, mas a cúpula da CPI não se sensibilizou e rejeitou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários