Operação da PF retira garimpeiros da Terra Indígena Yanomami

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta terça-feira (29), a “Operação Omama” para retirar garimpeiros da Terra Indígena Yanomami. A região é alvo de, pelo menos, 20 mil invasores que extraem, ilegalmente, ouro nos arredores das comunidades onde vivem os indígenas e causam conflitos armados.

A Polícia Federal está fazendo o uso de tropas especiais, aeronaves e equipamentos. A ação deve fazer incursões estratégicas em diversos garimpos dentro da Terra Yanomami, "visando apreender e inutilizar maquinários, aeronaves, insumos e outros materiais utilizados na extração de ouro, desencorajando os garimpeiros de permanecerem na região."

A Terra Yanomami é muito rica em minérios. São 10 milhões de hectares onde vivem, aproximadamente, 27 mil índios. Por isso, desde a ditadura militar, a região tem sido alvo frequente de garimpeiros. Mas, nos últimos anos, as invasões se intensificaram e, em 10 de maio passado, houve até um ataque armado contra a comunidade indígena Palimiú.

As mais de 370 aldeias, que vivem na região, argumentam que os garimpeiros contaminam os rios e degradam a floresta e isso reflete, diretamente, na saúde dos Yanomami, principalmente, das crianças. Elas enfrentam desnutrição grave por conta da falta de alimentos encontrados na floresta.

Só para se ter ideia, em 2020, durante o ano pandêmico, o garimpo ilegal nas terras Yanomami aumentou 30%. Mas, agora, o Exército Brasileiro, Força Aérea Brasileira, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), Fundação Nacional do Índio (Funai) e a PF unem forças para retirar os intrusos de lá.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários