Sem CPI do MEC, Randolfe diz que acionará STF para instalação de nova comissão após as eleições

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que é líder da oposição ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) e também foi o vice-líder da CPI da Covid-19, mais conhecida como "CPI do Circo", colegiado que não conseguiu comprovar delito algum a nenhum dos "acusados", disse, nesta terça-feira (5), que acionará o Supremo Tribunal Federal (STF) após as eleições deste ano; caso o Senado não mantenha a sua palavra em instalar novo colegiado contra o Executivo Nacional.

Randolfe insite em abrir outra CPI contra o Governo Federal. Ele acredita que há muito a se investigar no Ministério que foi comandado por Milton Ribeiro. O pastor evangélico recebeu denúncias de um empresárioafirmando que havia irreluaridades na pasta e o próprio ex-Ministro levou o caso à Controladoria-Geral da União (CGU), mas, ainda assim a oposição diz que Ribeiro é o culpado.

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, descartou a instalação de nova CPI durante o recesso dos parlamentares (18 a 31 de julho) e, muito menos antes de novo pleito; quando os congressistas estão ocupados em fazer campanha eleitoral.

Frustrado com a decisão da casa, Randolfe, que se ocupou nos últimos quatro anos em perseguir o Governo Federal com ações no Supremo, já avisou: acionará o Corte Máxima, mais uma vez, tão logo a disputa presidencial termine.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários