Empresário, agredido por Maninho do PT, morreu em 2021, com sequelas da violência

O empresário Carlos Alberto Bettoni, violentamente agredido pelo ex-veredor Maninho do PT, aquele mesmo que Lula (PT) elogiou, recentemente, por seu ato de "bravura", morreu, em 2021, em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), enquanto aguardava transferência para um hospital.

O empresário vinha sofrendo com crises convulsivas desde que foi empurrado pelo petista e bateu a cabeça na traseira de um caminhão. Com a saúde fragilizada, ele tinha que ir à unidade de saúde frequentemente. Mas, a Covid-19 se alastrou pelo Brasil e, em uma dessas idas e vindas, ele contraiu o vírus e faleceu no local.

- Meu pai tinha a saúde perfeita antes do ocorrido. Eu o vi decaindo. Foi muito triste e difícil. Ele faleceu em 2021, mas, para mim, a vida dele acabou em abril de 2018 - contou ao site Metrópoles, a filha do empresário, que preferiu não ter o nome divulgado.

O Ministério Público até chegou a denunciar Maninho por "emprego de meio cruel" na agressão ao empresário. Mas, em sua defesa, o ex-vereador ironizou e disse que só continuou a bater no homem porque ele não reagia.

- Consegui empurrá-lo algumas vezes. Ele continuou xingando e segui empurrando ele. Cheguei a dar um chute na canela e, no final, ele se virou contra mim e dei um tapa com a mão aberta no rosto dele e ele caiu - relatou, calmamente, o petista. Parece que "prevendo" os elogios de seu padrinho político.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários