Juíza diz que bandeira do Brasil virou símbolo de Bolsonaro e que vai mandar retirar por "propaganda eleitoral irregular"

A juíza eleitoral Ana Lúcia Todeschini Martinez, titular do cartório eleitoral de Santo Antônio das Missões e Garruchos (RS), deu uma declaração polêmica durante encontro que teve ocm representantes de partidos políticos, na semana passada.

A magistrada afirmou que mandaria retirar a bandeira nacional do Brasil em virtude de uma suposta "propaganda eleitoral irregular". Ela acredita que as eleições, por estarem "polarizadas", está sendo como símbolo de apenas um lado que se diz "patriota" e cujas aliados se identificam com ela.

- É evidente que hoje a bandeira nacional é utilizada por diversas pessoas como sendo um lado da política, né? Hoje a gente sabe que existe uma polarização. De um dos lados há o uso da bandeira nacional como símbolo dessa ideologia política - iniciou a juíza.
-  Se ela tiver fixada em determinados locais, a gente vai pedir pra retirar - acrescentou, afirmando que "não existe mla nenhum" na exibição do símbolo. Mas, da forma como está sendo utilizada por "determinada ala da política".

O entendimento de Ana Lúcia Todeschini ainda pode ser revertido pelo  o entendimento exposto por ela pode ser revertido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ou pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após consultas dos partidos.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários