Mortos, adolescentes e até 5.500 servidores públicos estavam incluídos em programa milionário de alfabetização do PT no Piauí

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE) encontrou mais de 1.000 mortos entre os cadastrados para alfabetização em programa milionário do PT, durante os governos de Wellington Dias e Regina Sousa.

De acordo com a denúncia feita pela Revista Veja, desta sexta-feira (15), fora os falecidos, outros 5.500 funcionários públicos também estavam "matriculados" e o pior: 1.000 adolescentes com até 18 anos faziam parte dos "beneficiados".

Lista totalmente bizarra para o edital das inscrições, já que, para ingressar no serviço público, por exemplo, os 5.500 servidores cadastrados não poderiam afirmar que são analfabetos. Pois, eles fizeram provas para passar no certame e, portanto, deveriam saber ler e escrever. 

Já os adolescentes inscritos nem deveriam constar no programa petista, uma vez que é destinado ao público adulto.

O TCE descobriu as fraudes analisando as listas, entre março e junho deste ano.

O programa do PT no Piauí foi lançado tem só um ano e, ao que tudo indica, desviou boa parte dos R$ 340 milhões que eram destinados ao projeto.

O Piauí é um dos estados com maior número de analfabetos do Brasil: 16% da população adulta, realmente, não sabe ler e escrever. E, se depender dos governos petistas, continuará assim; já que muitas sedes das empresas contratadas para administrar o sistema educacional nem foram encontradas e outras que tinham endereço fixo não possuíam trabalhadores atuando.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários