VÍDEO: Mulher posta dançinha no Tik Tok e perde indenização trabalhista

Em tempos de redes sociais, as pessoas ficam entusiasmadas por cliques, curtidas e comentários. É tipo uma pose, uma foto e pum! Tudo vai parar na internet e, claro, ter muitas visualizações.

Esmeralda Mello, ex-funcionária de uma empresa, pensava nesse engajamento e nessa "lacrada" quando, ao sair de uma audiência na Justiça do Trabalho, em que, por sinal, ela tinha ganhado a causa, a jovem resolveu fazer um "videozinho" no Tik Tok; comemorando a vitória.

Não deu outra: as imagens do deboche com o ex-patrão viralizaram. Foram mais de 30 mil visualizações no perfil da moça, que dizia no título das imagens:

- Eu e minhas amigas indo processar a empresa tóxica - ironizou a ex-colaboradora.

A repercussão foi tão grande que chegou ao conhecimento da empresa, do patrão e, consequentemente, dos advogados dele que, relataram o fato ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª região, em São Paulo, e, imediatamente, o depoimento das testemunhas de Esmeralda - as duas amigas - foi anulado.

Em nota, a corte argumentou que o depoimento das jovens não era mais válido. Pela proximidade que tinham com a requerente, a Justiça entendeu que elas teriam mentido e combinado a fala para beneficiar a amiga.

Ao final, ao invés de ganhar a ação, as três mulheres foram condenadas a pagarem juntas 2% do valor que Esmeralda receberia da empresa.

- Por isso, os depoimentos foram anulados. Em sentença, concluiu-se também que a profissional e as testemunhas utilizaram de forma indevida o processo e a Justiça do Trabalho, tratando a instituição como pano de fundo para postagens inadequadas e publicação de dancinha em rede social - disse, em nota, o TRT.

As mulheres foram acusadas de má-fé e conduta abusiva ou corrupta para favorecer uma das partes.

Assista: 

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários