Santander é condenado pelo Banco Central a reembolsar R$ 79 milhões a clientes

As instituições financeiras que atuam no Brasil que se cuidem porque o Banco Central do Brasil, sob a gestão de Roberto Campos Neto, executivo recentemente elogiado pelo presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Maurício Claver-Carone, como o melhor chefe de BC n mundo, determinou que o Santander devolva R$ 79 milhões em cobranças indevidas aos clientes.

Fernando Capez, ex-diretor do Procon de São Paulo, informou que o banco insistiu em cobrar juros mais altos que o estabelecido pelo Banco Central, de janeiro de 2014 até fevereiro de 2022 e, por isso, foi penalizado.

- O Santander sabia que não podia cobrar juros acima do limite estabelecido pelo Banco Central, limite máximo de 8%, e cobrou, deliberadamente, consciente de que fazia uma cobrança indevida - explicou Capez.

O Santander, por sua vez, lutou com todas as armas que tinha para evitar o ressarcimento ao cliente e só aceitou pagar o montante; depois de ser convencido de que iria ter que arcar com uma multa muito maior.

Apesar de apenas 1% dos clientes lesados ingressarem com ações na Justiça, as infrações do banco são graves e envolvem juros abusivos no cheque especial, no parcelamento do cartão de crédito e cobranças indevidas a empreendedores individuais e microempresas.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários