Presidente da Ucrânia demite 60 funcionários do alto escalão do governo em virtude de traição

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, perdeu a paciência com integrantes do próprio governo e decidiu, no domingo (17), demitir, aproximadamente, 60 funcionários que faziam parte do alto escalão. O líder ucraniano acreditava que estava sendo traído e que os colaboradores atuavam de alguma forma em favor da Rússia.

- Hoje tomei a decisão de remover o procurador-geral do cargo (Iryna Venediktova) e demitir o chefe do Serviço de Segurança da Ucrânia (Ivan Bakanov) - informou em vídeo nas redes sociais.

Os outros fucnionários demitidos eram todos dos mesmos departamentos que os anteriores e Zelensky afirmou à população ucraniana que já abriu mais de 600 processos em que apura casos de traição.

- Até hoje, 651 processos criminais foram registrados sobre atividades de traição e colaboração de funcionários de promotorias, órgãos de investigação prejulgamento e outras agências de aplicação da lei - destacou.
- Em particular, mais de 60 funcionários do Ministério Público e do Serviço de Segurança da Ucrânia permaneceram no território ocupado e estão trabalhando contra nosso Estado - pontuou.

Todos os desleais ao governo ucraniano estão sendo responsabilizados por "transferir informações secretas ao inimigo".

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários