Integrantes do Judiciário alegam que Bolsonaro "força" cassação do próprio registro no TSE

Depois que o presidente Jair Bolsonaro (PL) encontrou-se com dezenas de embaixadores de outros países em Brasília e reclamou das inconsistências e fragilidades do sistema eleitoral brasileiro, oposição rapidamente ingressar com uma notícia-crime contra ele no STF e o ministro Edson Fachin afirmar "basta", alguns integrantes do Poder Judiciário tem alegado que o chefe do Planalto "força" a cassação do registro de sua candidatura este ano.

De acordo com reportagem da CNN, os ministros de tribunais superiores, que não quiseram ter os nomes identificados, argumentaram que Bolsonaro, supostamente, gostaria de sair da disputa e impedir que o pleito se realize sem as atualizações das urnas eletrônicas que o departamento de Cibernética das Forças Armadas sugeriu.

Foram encontradas dezenas de fragilidades no sistema eleitoral, mas o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), comandado por Fachin, impediu as renovações que garantiriam mais segurança às eleições do Brasil.

O debate sobre os melhoramentos nos equipamentos eletrônicos e a impressão do voto já é uma disputa antiga do Congresso, que sempre foi protelada. Mas, em virtude da invasão de um hacker ao sistema eleitoral em 2018, que ficou 8 meses no programa sem ser notado, as modernizações se tornaram necessárias. Mas, têm que passar pelo crivo do STF e do TSE, cujos oito - dos 11 ministros da Corte Suprema - foram indicados pelo PT, que lança Lula, principal adversário de Jair Bolsonaro, à presidência.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários