Lira vai esperar conclusão da CPI para analisar “superpedido” de impeachment de Bolsonaro

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), não vai analisar o “superpedido” de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, protocolado por um grupo de parlamentares de oposição ao Governo Federal, nesta quarta-feira (30).

Lira pretende aguardar o resultado da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 que, por enquanto, tem empregado todos os esforços para provar que Jair Bolsonaro é o único culpado pelas mais de 500 mil mortes por coronavírus no Brasil.

- Não será feito agora, né. Tem que esperar - afirmou, quando questionado por jornalistas.
- O que houve nesse superpedido? Uma compilação de tudo o que já existia nos outros e esses depoimentos, quem tem que apurar é a CPI. É para isso que ela existe. Então, ao final dela, a gente se posiciona aqui; porque, na realidade, impeachment, como ação política, a gente não faz com discurso. A gente faz com materialidade - disparou.

O “superpedido” contém 46 assinaturas e 271 páginas. O documento é assinado por nomes como Joice Hasselmann (PSL-SP), Kim Kataguiri (DEM-SP) e Alexandre Frota (PSDB-SP). Todos recentes na política e que disputavam fotos com o atual presidente na busca por eleitores conservadores e cristãos.

O texto foi elaborado pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), que representa alguns parlamentares e personalidades. De acordo com o documento, Jair Bolsonaro teria cometido 23 crimes desde que assumiu a presidência da República.

Arthur Lira disse que há 120 requerimentos anteriores ao “superpedido”, aguardando análise e mandou um recado para os senadores da cúpula da CPI:

- Vou esperar a CPI. Está fazendo um belíssimo trabalho. Bem imparcial - ironizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários