PF apura possível ligação de Adélio Bispo com o PCC

A Polícia Federal voltou a considerar a possibilidade que o ex-integrante do PSOL, Adélio Bispo, autor da facada que quase matou Jair Bolsonaro, em 2018, também pode ser ligado à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

A retomada dessa linha de investigação ocorre após a PF estar sob novo comando; já que, nos útimos quatro anos, embora Bolsonaro seja o atual presidente do Brasil, a apuração praticamente paralizou. Ninguém descobriu os mandantes, ninguém conseguiu avançar sobre quem está pagando os advogados do criminoso (alguns muito conhecidos na ala do PT), ninguém sabe quem foi o mandante e, por fim, Bispo ainda foiconsiderado um "lobo solitário inimputável".

Bolsonaro não esconde sua frustração pelo caso não ter avançado dentro da PF. Afinal de contas, ele tem que conviver eternamente com as sequelas do atentado, enquanto o ex-psolista pode ganhar a liberdade a qualquer momento.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários