Empregada doméstica se atrasa no trabalho e leva tapa na cara de Major da PM

Na noite do dia 17 deste, a empregada doméstica Patrícia Peixoto havia passado a noite inteira acordada cuidando da filha de um ano que estava com penumonia. No dia sequinte, ela não conseguiu chegar cedo no trabalho, atrasou algumas horas e foi violentamente insultada pelo patrão, o Major da PM Bruno Chagas.

Nas imagens de segurança do elevador do prédio em que o policial mora, é possível ver Bruno agitado, discutindo com a funcionária. Ela está encostada na parede do equipamento e, em dado momento, ele encurrala a mulher, que o afasta. Irritado, ele reage com um tapa no rosto da moça.

- Tinha sido uma noite horrível e deixei ela [a filha] em casa pra ir trabalhar e levar um tapa no rosto - lamentou Patrícia.
- Ele estava me agredindo com palavras, me chamando de vários tipos de nome. Ele também falou que eu podia dar parte dele, que não ia dar nada, porque ele é major da PM - acrescentou.

A doméstica pediu uma medida protetiva contra o ex-patrão e a Corregedoria da Polícia Militar já está investigando o caso.

Bruno Chagas, que é ex-marido da deputada federal, a Major Fabiana, já havia denunciado o PM por entrar na casa dela sem autorização. Além disso, ele responde a outro processo por maus-tratos a uma criança de 2 anos.

- As agressões que ocorriam no interior do elevador foram captadas e nós já estamos de posse dessas imagens. Outras imagens foram requisitadas ao condomínio, que eventualmente possa dar novos detalhes. Além da vítima, nós vamos ouvir o autor dos fatos e outras testemunhas que por ventura eles indiquem - disse o delegado do caso Luís Maurício Armond.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários