China reage à visita de Nancy Pelosi a Taiwan

O Governo Comunista da China está deveras incomodado com a visita da presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a Taiwan.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, disse, nesta terça-feira (2), que o país não ficara "apenas olhando" a democrata aterrisar em solo que a China considera seu e quer retomar. No entanto, Washington rebateu a ameaça e disse a Pequim que não tome nenhuma medida que comprometa a escalada das tensões entre os dois países.

- Não há razão para Pequim transformar uma visita em potencial, consistente com a política de longa data dos EUA, em algum tipo de crise ou conflito, ou usá-la como pretexto para aumentar a atividade militar agressiva dentro ou ao redor do Estreito de Taiwan - despistou o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, John Kirby, nesta segunda-feira (1).

Biden, ao que tudo indica, foi contra a visita de Pelosi a Taiwan, com quem os Estados Unidos mantém comércio regular. Por isso, ele chegou a ligar para o presidente da China, Xi Jinping, para explicar que a parlamentar, como membro do Congresso, toma suas próprias decisões sobre viagens internacionais e não segue exatamente o que o Executivo deseja. 

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários