Barroso responde afirmação de Bolsonaro: "Sempre haverá maus perdedores"

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, rebateu a fala do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que o chamou de criminoso e disse que "sempre haverá maus perdedores".

Bolsonaro lembrou, nesta terça-feira (2), que foi Barroso quem conversava com líderes de partidos para que o Congresso não aprovasse a impressão do voto eletrônico.

- Ele era presidente do TSE, foi para dentro do Parlamento e se reuniu com uma dezena de líderes e, no dia seguinte, vários líderes trocaram os integrantes da comissão de modo que eles votaram contra a PEC do Voto Impresso. Foi para o plenário, nós ganhamos, mas não conseguimos 308 votos (para aprovar a PEC). Perdemos - lamentou o presidente.
- Então foi uma interferência direta do Barroso dentro do Congresso Nacional para não aprovar o voto impresso, uma interferência política, um crime previsto na Constituição. O Barroso é um criminoso - destacou.

Em resposta, o magistrado, indicado ao STF durante as gestões petistas, falou:

- Mentir precisa voltar a ser errado de novo. Compareci à Câmara dos Deputados, como presidente do TSE, para debater o voto impresso, atendendo a três convites oficiais. E foi a própria Câmara que derrotou a proposta de retrocesso. Mas sempre haverá maus perdedores - alegou o magistrado, que fez lobby para que os parlamentares rejeitassem a impressão do voto eletrônico na casa.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários