Apagaram as imagens das câmeras que flagraram o motivo da discussão entre petista e bolsonarista: "Gatilho que acendeu a ira de Guaranho"

A perícia constatou que "limparam" parte das imagens que gravaram a discussão anterior ao tiroteio entre o agente penal, Jorge Guaranho, e o guarda municipal, Marcelo Arruda.

De acordo com a polícia, o que foi apagado era "o gatilho que acendeu a ira de Guaranho" para que ele voltasse à festa e confrontasse o aniversariante.

Laudo da perícia confirmou que houve uma "limpa" nos arquivos, dois dias depois do tiroteio que culminou na morte do petista, mais precisamente, às 08H:57 do dia 11 de julho.

A polícia criminalística também informou que não é possível fazer leitura labial e identificar o que os envolvidos falavam momentos antes do crime.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários