Gás de cozinha fica 6% mais caro a partir desta terça-feira

O preço médio do gás de cozinha, produzido pela Petrobras, deve ficar 6% mais caro, a partir desta terça-feira (6). É o sexto aumento do produto neste ano. Com isso, o valor passa para R$ 3,60 o quilo, um aumento médio de R$ 0,20. Nesta segunda-feira (5), a empresa subiu também os valores da gasolina (+6%) e do óleo diesel (+3,7%).

O valor médio do botijão de 13 kg é de R$ 88,91, segundo dados da última semana da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Mas, o preço pode variar, dependendo da região do país, de R$ 64,99 a R$ 125,00.

O novo preço médio para o botijão 13 kg nas refinarias passa a ser de R$ 46,8. Ao valor, porém, é adicionada a fatia da distribuição e revenda (35,6%) e impostos estaduais (ICMS), de aproximadamente 14%, depois de o Governo Bolsonaro ter zerado os impostos federais (PIS/Cofins) que representavam menos de 1% do preço na refinaria.

Em fevereiro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro trocou o presidente da Petrobras, depois de sucessivos aumentos para o consumidor final nos preços dos combustíveis.

À época da polêmica em torno da contratação do general Joaquim Silva e Luna para o cargo, o chefe do Planalto disse:

- Nesses dois meses, nós vamos estudar uma maneira definitiva de buscar zerar o imposto para ajudar a contrabalancear esses aumentos, no meu entender, excessivo, da Petrobras. Mas, eu não posso interferir, nem iria interferir na Petrobras; se bem que alguma coisa vai acontecer na Petrobras nos próximos dias. Você tem que mudar alguma coisa. Vai acontecer - avisou em live.

E completou:

- Teve um aumento, no meu entender, aqui, eu vou criticar, um aumento fora da curva da Petrobras. 10% hoje na gasolina e 15% no diesel. É o quarto reajuste do ano. A bronca vem sempre para cima de mim, só que a Petrobras tem autonomia - explicou.

A alta no valor de combustíveis e gás de cozinha preocupa o Planalto porque vários setores da economia são impactados e precisam retomar o fôlego após um ano pandêmico.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários