Indiciado por corrupção e lavagem de dinheiro, Renan Calheiros aciona o STF por “abuso de autoridade” da PF

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi denunciado pela Polícia Federal, no sábado (3), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Mas, a defesa do congressista alega que a PF não tem competência para indiciar senadores.

As investigações da instituição apontam que o senador recebeu R$ 1 milhão em propina da construtora Odebrecht em 2012. Porém, o senador entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), nesta terça-feira (6), justificando suposto abuso de autoridade cometido pela Polícia Federal. No centro das reclamações dele, está o delegado Vinicius Venturini que comanda as apurações contra Calheiros. A defesa do político argumenta que ocorre um “grave e manifesto constrangimento ilegal, de ordem irreparável” com o ato do delegado, visto que o assunto foi amplamente divulgado pela imprensa.”

Atualmente, Renan, que tem 17 processos contra ele no Supremo, é o relator da CPI da Covid-19 no Senado Federal; na qual tem ouvido duras críticas a respeito do desempenho parcial da Comissão.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários