VÍDEO: “Caguei para a CPI”, diz Bolsonaro sobre questionamento de Aziz

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta quinta-feira (8), que não responderá à carta enviada pela cúpula da CPI da Covid-19, instalada no Senado por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). No documento, os senadores de oposição exigem que o chefe do Executivo confirme ou negue supostas denúncias de corrupção no Ministério da Saúde que ainda estão sendo investigadas.

O deputado Luis Miranda (DEM-DF), em depoimento no dia 25 de junho, disse ter relatado a Bolsonaro que o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), estaria atuando para pressionar Luis Ricardo Miranda (irmão do demista) a acelerar os trâmites para a vacina indiana Covaxin.

Questionado sobre o tema, Bolsonaro rebateu:

- Eu não vou responder nada para esses caras. Não vou responder nada para esse tipo de gente, em hipótese alguma, que não estão preocupados com a verdade, e sim, em desgastar o governo - disparou.
- Hoje, o Omar, o Renan e o saltitante (Ranfolfe Rodrigues) fizeram uma festa lá embaixo na Presidência, entregaram documento. Pô, responder pergunta à CPI. Sabe qual é minha resposta, pessoal? Caguei. Caguei para CPI. Não vou responder nada - afirmou.

E completou:

- Renan Calheiros, deita aí para esperar a minha resposta aí sobre as suas perguntas. Deita aí -, disse.
- Deita você, o Randolfe e Omar, o trio aí. Dorme aí e fica esperando uma resposta. Eu não vou responder para gente sem qualificação como vocês -

Ao final da transmissão, Bolsonaro se desculpou pela espontaneidade das palavras.

- Desculpe os palavrões. De vez em quando, escapam. Eu prefiro ser normal do que ficar me policiando para ser diferente. Eu não quero ser uma pessoa de fala mansa, com mentiras grosseiras. Eu prefiro ser grosseiro com verdades simples - finalizou.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários