Planos de saúde individuais terão redução de 8,19%, determina ANS

Pela primeira vez na história, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) definiu que o plano de saúde individual vai ficar mais barato. A decisão foi tomada depois que o órgão identificou um recuo de 82% para 74% no uso de serviços médicos, como cirurgias e exames, pelos usuários em 2020.

- Foi uma medida justa visto que houve redução de atendimento em 2020. Nosso objetivo é promover a defesa do interesse público - afirmou Rogério Scarabel Barbosa, diretor da ANS.

Com a determinação, a agência prevê uma queda de 8,19% nos contratos para 8,1 milhões de beneficiários até abril de 2022. Mas, é preciso ficar atento porque o desconto não vale para planos de saúde coletivos, como os empresariais, e os por adesão, em que os consumidores contratam em grupo.

Por causa do isolamento social imposto por governadores e prefeitos de todo o Brasil, as consultas médicas, por exemplo, registraram um recuo de 25% nas ocorrências em 2020, em relação a 2019. E, apesar do aumento de gastos com internações e procedimentos realizados pela Covid-19, os planos reduziram seus gastos com consultas e atendimentos ambulatoriais.

As operadoras dos planos de saúde individuais terão que diminuir o valor das mensalidades a partir do mês que vem, com pagamento retroativo de maio, junho e julho, sempre na data de aniversário do contrato do usuário.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários