Cientistas testam vacina contra HIV, estudo é o mais promissor em décadas

Um estudo com mais de 6 mil pessoas está sendo conduzido em vários países da África, Europa, América do Norte e América Latina, inclusive no Brasil. Segundo especialistas, é o mais promissor em 40 anos, desde que a pandemia teve início.

A pesquisa está na fase 3, que testa a eficácia em larga escala. As fases 1 e 2, com menos voluntários, determinam a segurança do produto e a dose apropriada. Testado em macacos, o imunizante apresentou uma proteção de 67% contra a infecção. Até hoje, a vacina contra o HIV mais eficaz no mundo apresentava proteção de apenas 30%.

A vacina está sendo aplicada em pessoas soronegativas que tenham o risco aumentado de exposição à infecção. Os voluntários serão acompanhados por 30 meses e cada um receberá quatro doses, com intervalos de três meses entre cada uma. Metade receberá placebo e a outra metade, o imunizante.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), 38 milhões de pessoas convivem com HIV no planeta. Pelo menos, 33 milhões de pessoas morreram vítimas da infecção em todo o mundo.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários