Com Bolsonaro afastado, Congresso aprova rapidamente texto que quase triplica verba para fundo eleitoral

Com o presidente da República hospitalizado e longe de Brasília, os parlamentares se mobilizaram e o Congresso Nacional aprovou, nesta quinta-feira (15), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

O texto estabelece regras para a elaboração do Orçamento de 2022, ano de eleições no Brasil.

Na Câmara dos Deputados, o relatório foi aprovado com 278 votos a favor e 145 contra. Já no Senado Federal, a votação foi apertada: 40 a 33.

Aprovada pelo Congresso, a LDO segue para a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Um dos pontos polêmicos dessa LDO é a previsão e ampliação da verba para o Fundo Especial de Financiamento de Campanha no valor de R$ 5,7 bilhões, quase três vezes maior que o registrado nas eleições de 2020 (R$ 2 bilhões). O relator do projeto também incluiu um mecanismo que visa proteger órgãos e programas como o Embrapa e o Censo de possíveis bloqueios orçamentários.

O valor do salário mínimo em R$ 1.147 e um déficit de R$ 170 bilhões nas contas públicas foram mantidos pelo texto.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários