Ao deixar hospital, Bolsonaro critica votação-relâmpago do fundo eleitoral e avisa que pode vetar

Ao receber alta, neste domingo (18), o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre alguns temas, entre eles, a possibilidade de vetar o fundo eleitoral de, aproximadamente, R$ 6 bilhões para as eleições 2022, aprovado, rapidamente, na quinta-feira (15), pelo Congresso Nacional, no âmbito da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Na saída do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, Bolsonaro criticou a postura do vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), que “atropelou” a votação da LDO.

- Eu sigo a minha consciência. Sigo a economia e a gente vai buscar um bom sinal para isso tudo aí. Afinal de contas, eu já antecipo: R$ 6 bi pra fundo eleitoral, para financiamento de campanhas, pelo amor de Deus - avisou, lembrando que o Congresso aoprovou a matéria, aproveitando-se da ausência do presidente que estava hospitalizado para tratar de uma obstrução intestinal.
- Então, num projeto enorme, alguém botou lá dentro essa casca de banana, essa jabuticaba. O Parlamento descobriu, foi tentando destacar para que a votação fosse nominal. Essa questão, o presidente Marcelo Ramos, do Amazonas... Pelo amor de Deus o estado do amazonas ter um parlamentar como esse, pelo amor de Deus - censurou.

E acrescentou que, com o valor de R$ 6 bilhões, daria para recapear grande parte da malha rodoviária do Brasil ou concluir as obras que levam água para o Nordeste.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários