Presidente Bolsonaro promete entregar provas de que eleições de 2014 foram fraudadas

Em entrevista, nesta terça-feira (20), o presidente da República, Jair Bolsonaro, disse que apresentaria provas, na próxima semana, de que as eleições de 2014 envolvendo Aécio Neves (PSDB) e Dilma Roussef (PT), no segundo turno, foram de fato fraudadas.

Bolsonaro, várias vezes, já externou sua convicção de que a substituta de Lula não ganhou a disputa eleitoral.

Se conseguir comprovar o que afirma, o coro para que a impressão do voto eletrônico seja aprovada pelo Congresso Nacional deve ganhar força. Isso porque os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o próprio presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luis Roberto Barroso, têm feito campanha contra, alegando que as urnas brasileiras são totalmente confiáveis.

O hacker Marcos Roberto Correia da Silva, mais conhecido como Vandathegod, que invadiu o site do TSE, em 2018, afirma que é possível, sim, alterar o resultado das eleições.

Em entrevista ao deputado Filipe Barros (PSL-PR), relator da PEC do Voto Impresso, que tramita no Congresso para a criação do voto impresso auditável, Marcos Roberto reafirmou e explicou como violar o processo de apuração.

– Conseguiria (invadir o sistema eleitoral). A manipulação de votos na rede, na hora da votação, ela é desligada. Mas, na hora de contar os votos, ela é, sim, ligada e conectada à internet. E, se ela estiver em algum lugar e alguém estiver nessa rede, ele consegue fazer a invasão e, aí, consegue manipular a votação – garantiu ao parlamentar.

E acrescentou:

– Se a gente quiser criar tabela, nome de banco dados, acrescentaria, sim, manipularia tudinho – esclareceu.

Resta saber se o que acontecerá ao sistema eleitoral brasileiro, se as provas apresentadas pelo presidente forem incontestáveis.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários