Campeão paralímpico, namorada e o sogro idoso são agredidos por funcionário do Detran em SP

O atleta paralímpico paraense Alan Fonteles levou um baita susto no Detran de São Paulo, nesta terça-feira (27). Ele conta que foi ao Pátio Presidente Wilson retirar o carro, que havia sido retido por irregularidades, mas notou que o veículo seria entregue com um pequeno estrago e, por isso, questionou o funcionário da instituição.

- Ele começou a se exaltar. Começou a reclamar. Aí, eu peguei e disse para ele ter um pouco mais de educação com as pessoas, tratar melhor. Eu só vim buscar meu carro e ele com ignorância. Ele começou a se exaltar e disse que falava com quem ele quisesse daquela forma - relata o esportista.

Alan narra que o sogro não gostou da postura do funcionário do Detran chamado Marco Antônio e também tira satisfações com ele. O que faz o funcionário público se irar e tentar agredi-lo. A noiva de Fonteles, que é filha do idoso, se coloca na frente do pai para defendê-lo e troca insultos com Marco Antônio, que também tenta agredi-la. Ela até consegue se desviar do golpe, mas acaba atingida na boca. Alan, então, entra no meio para defender a noiva e o sogro.

- Daí, os dois brigando, ele foi pegar a arma e a arma dele caiu no chão. Os funcionários seguraram ele. Ele conseguiu pegar a arma e falou para a gente sair de lá apontando a arma para a gente - conta a jovem, acrescentando que foram necessários quatro funcionários do Detran para segurar Marco Antônio.

Nathália diz que ele só foi levado à delegacia, após a imprensa ser chamada. O funcionário foi afastado do cargo.

- Eu fiquei muito nervosa. Já chorei muito. Toda vez que falo, eu acho que vou me emocionar. Nunca passei por isso. Não queria ter passado. Ter sido agredida por ninguém. Ainda mais por um homem muito mais forte que eu. Eu não esperava isso e agora a gente quer justiça - diz a moça.

Atlestismo

Natural do Pará, Alan Fonteles, 28, por sinal, embarca, em breve, para Tóquio, onde disputará sua 5° Olimpíada. O campeão paralímpico e mundial de atletismo foi amputado das duas pernas, do joelho pra baixo, aos 21 dias de vida, após contrair infecção intestinal. Ele é especializado em provas de velocidade, geralmente competindo em eventos da classe T43.

Em 2013, durante o Mundial de Atletismo Paraolímpico, em Lyon, França, o paraense conquistou o ouro da prova de 200 metros da classe T43; quebrando o recorde mundial, que era de Oscar Pistorius, o único atleta da história a competir em igualdade entre os atletas olímpicos e paralímpicos.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários