Pressão em cima de Simone Biles a faz desistir de prova em Tóquio e ela dispara: “Não queremos sair carregados de lá em uma maca”

A maior ginasta do mundo, a norte-americana Simone Biles, de 24 anos, não aguentou a pressão feita em cima dela para que obtivesse as melhores notas na ginástica olímpica e, simplesmente, desistiu de uma prova após errar um salto.

A delegação dos Estados Unidos tentou justificar que a atleta havia se lesionado. Mas, Biles acabou falando a verdade pouco tempo depois.

- Tenho que me concentrar na minha saúde mental. Depois da apresentação que fiz, simplesmente, não queria continuar - argumentou.

Biles é um fenômeno nas quadras. Sobre o talento dela na ginástica olímpica até filmes e documentários já foram feitos. Ela é dona de 18 medalhas de ouro em Campeonatos Mundiais, três de prata e três de bronze; além de quatro ouros e um bronze nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Por todos esses feitos, as concorrentes esperavam que ela iria colecionar medalhas em Tóquio. Mas, surpreendentemente, ela desistiu da final por equipes, nesta terça-feira (27).

Com a saída da atleta, EUA ficaram em segundo lugar, Rússia em primeiro e Grã-Bretanha em terceiro.

- Acho que a saúde mental é mais importante nos esportes nesse momento. Temos que proteger nossas mentes e nossos corpos e não apenas sair e fazer o que o mundo quer que façamos - alfinetou a atleta.

Biles, de fato, deu um importante alerta ao mundo competitivo dos esportes. Ela conseguiu gritar por socorro em um mercado em que os atletas são obrigados a ficar calados diante das dores no corpo e do medo de serem superados.

- Eu não confio mais tanto em mim mesma. Talvez, seja o fato de estar ficando mais velha. Não somos apenas atletas. Somos pessoas. Afinal de contas, e, às vezes, é preciso dar um passo atrás. Eu não queria ir lá, fazer algo estúpido e me machucar. Sinto que muitos atletas se manifestando realmente me ajudou. É tão grande, são os Jogos Olímpicos. No fim de tudo, não queremos sair carregados de lá em uma maca - acrescentou.
- Não foi um dia fácil ou o meu melhor, mas consegui superá-lo. Eu realmente sinto que às vezes tenho o peso do mundo sobre meus ombros. Eu sei que eu ignoro e faço parecer que a pressão não me afeta. Mas, às vezes, é difícil! As Olimpíadas não são brincadeira! Mas, estou feliz que minha família foi capaz de estar comigo virtualmente. Eles significam o mundo para mim - finalizou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários