TCU identifica fraudadores de benefício do Governo Federal. Auditoria constatou que R$ 247 milhões foram gastos em pagamentos irregulares

Em 2020, ano em que a pandemia da Covid-19 assolou o mundo, muitos trabalhadores, claro, tiverem redução de jornada do trabalho e até mesmo diminuição do salário. Para compensar essa perda repentina, entre maio e dezembro do ano passado, o Governo Federal concedeu benefício disposto a compensar essa perda. Nenhum mal até aí, afinal de contas seria uma “indenização”. O grande problema é que uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) apurou que servidores públicos federais, estaduais e municipais, empregados com vínculos múltiplos e pessoas que até já morreram, inacreditavelmente, receberam o dinheiro.

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) continua sendo pago em 2021, pelo Ministério da Economia. Mas, o Governo Federal já identificou os fraudadores por meio de um cruzamento de dados e quem recebeu as quantias deverá ressarcir a União, integralmente.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários