Justiça finaliza divórcio de Bill e Melinda Gates com bolada que pode ultrapassar US$ 70 bi para cada um

O casamento de Bill e Melinda Gates ficou, oficialmente, terminado, nesta segunda-feira (2), na justiça de Washington, encerrando, assim, os 27 anos de união com um contrato que chamaram de "justo e equitativo".

“Justo” pode significar que a divisão da fortuna tenha rendido partes iguais ou relativamente iguais aos dois: em torno de US$ 76 bilhões para cada um; já que a fortuna do casal era estimada em US$ 151 bilhões.

A decisão da separação de bens tinha acontecido "fora da corte", indicando que o ex-casal deve ter entrado em acordo antes mesmo de anunciarem o divórcio, em 3 de maio. E a conversa amigável entre eles pode ter ajudado na conclusão rápida da questão, uma vez que, pela Justiça americana, o processo só seria concluído em abril de 2022.

Além da bolada, Melinda vai levar também o sobrenome do ex-amado para o resto da vida. Ela resolveu manter o Gates, mesmo depois de divorciada.

Os três herdeiros dos bilionários não ganharão pensão, já que possuem mais de 18 anos de idade.

A única questão que ainda vai unir o ex-casal após o divórcio é o trabalho na Fundação Bill e Melinda Gates, organização filantrópica mantida pelos dois. Mas, se, em dois anos a administração conjunta não funcionar, o empresário pode retirar a ex-esposa da instituição, "comprando" a sua parte.

O divórcio de Bill e Melinda Gates passou por alguns escândalos com casos de traição, assédio e da amizade dele com o criminoso sexual Jeffrey Epstein. Fora isso, Gates também esteve envolvido em uma série de denúncias de assédio por parte de funcionárias da Microsoft e da Fundação.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários