PIB cresce 1,2% no 1º trimestre e volta ao patamar pré-pandemia

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, na terça-feira (1), que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 1,2% no 1º trimestre deste ano, se comparado aos três meses anteriores. No total, em valores, o PIB acumulou R$ 2,048 trilhões.

Isso prova que a economia brasileira está dando significativos sinais de melhora e está em plena expansão, após um ano pandêmico e cheio de medidas restritivas impostas por governadores e prefeitos, ao longo de 16 meses. O resultado positivo do PIB foi suficiente para retornar ao patamar do quarto trimestre de 2019, em termos de volume.

É um resultado estrondoso, acima do esperado. Cinquenta e cinco instituições financeiras e consultorias procuradas pelo Valor Data avaliavam que o PIB cresceria apenas 0,7% na comparação com o 4º trimestre, e de 0,5% em relação ao 1º trimestre de 2020.

- Mesmo com a segunda onda da pandemia de Covid-19, o PIB cresceu no primeiro trimestre, já que, diferente do ano passado, não houve tantas restrições que impediram o funcionamento das atividades econômicas no país - explicou Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

- Com o resultado do primeiro trimestre, o PIB voltou ao patamar do quarto trimestre de 2019, período pré-pandemia - destacou o IBGE.
- A gente retornou ao patamar pré-pandemia sem recuperar as perdas de 2015 e 2016. As perdas com a pandemia foram recuperadas nestes três últimos trimestres de crescimento - explicou Rebeca.

O maior crescimento foi da agropecuária (5,7%). Indústria (0,7%) em segundo lugar e serviços (0,4%), em terceiro.

O agro, inclusive, merece atenção especial. Pois, foi o único setor em que o crescimento não perdeu força frente aos três meses anteriores.

Em junho, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia previsto a alta, mas as instituições financeiras e de pesquisa ficaram céticas.

- Como a economia caiu muito fortemente na pandemia do ano passado, e neste ano o avanço da vacinação, dos protocolos, e o aprendizado de como se proteger na pandemia, estão protegendo um pouco mais a economia, é possível que nós estejamos crescendo a taxas bem maiores. A arrecadação está vindo forte - disse o ministro, na época, lembrando que os dados da arrecadação federal têm vindo acima das previsões.

Veja os principais destaques do PIB neste 1º trimestre:

Serviços: 0,4%

Indústria: 0,7%

Agropecuária: 5,7%

Consumo das famílias: -0,1%

Consumo do governo: -0,8%

Investimentos: 4,6%

Exportação: 3,7%

Importação: 11,6%

Construção civil: 2,1%

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários