Líderes de partidos se reúnem nesta segunda-feira para definir o destino da impressão do voto eletrônico

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), reúne, nesta segunda-feira (9), com os líderes dos partidos para tentar fechar um acordo sobre o destino da votação da PEC referente à impressão do voto eletrônico.

A PEC de autoria da deputada e procuradora aposentada, Bia Kicis (PSL-DF), foi derrotada na Comissão Especial que julgou o assunto. Mas, como a Comissão tem caráter apenas opinativo, Lira encaminhou a proposta para o plenário da Câmara dos Deputados decidir. A PEC, agora, deverá ser votada por 513 parlamentares e, por isso, o Governo do presidente Jair Bolsonaro ainda tem esperança de que ela seja aprovada.

Serão necessários 308 votos em dois turnos para a aprovação da regra eleitoral.

A Comissão Especial havia aprovado a íntegra do texto da presidente da CCJ, Bia Kicis. Mas, após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luis Roberto Barroso, interferir na decisão dos deputados, reunindo e pedindo para que os parlamentares fossem substituídos por outros que fossem contrários à proposta, a PEC não passou pela Comissão.

Se os deputados aprovarem a impressão do voto para arquivo e posterior contagem (caso precisem), a PEC ainda terá que enfrentar o crivo do Senado Federal. Todo o processo de modernização do sistema eleitoral brasileiro precisa ser aprovado até outubro deste ano para poder valer nas eleições de 2022.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários