VÍDEO: Após o mais duro lockdown do planeta, Argentina sente imediatamente as consequências da medida

Milhares de argentinos foram às ruas da capital do país, Buenos Aires, para protestar contra o Governo do presidente Alberto Fernández, neste sábado (7). Os manifestantes criticaram os resultados do mais severo lockdown imposto no mundo na tentativa de, supostamente, conter a disseminação da pandemia da Covid-19. O chefe do Executivo endureceu de forma drástica as medidas de isolamento social na Argentina e “quebrou” empresas, deixando para trás uma enorme fila de desempregados.

Organizações sociais e a liderança da igreja de San Cayetano, que é o patrono local do trabalho, se uniram e resolveram fazer a manifestação em defesa da abertura de novos postos de trabalho. A passeata terminou na Praça de Maio em frente à Casa Rosada, sede do governo federal.

Os argentinos reclamavam do valor defasado do salário-base universal e reivindicavam políticas públicas que acompanhem os diversos setores da economia popular.

Recentemente, a Argentina foi considerada pelo capital estrangeiro o segundo pior país para investimento; ficando atrás apenas da Venezuela, do ditador Nicolás Maduro. O relatório da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad) disse que o ingresso de dólares no país diminuiu em 38%. E, por isso, empresas estrangeiras estariam migrando para nações vizinhas.

Atualmente, 42% da população argentina se encontra na faixa da pobreza e o desemprego nacional chega a 10,2%.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários