TSE apresenta notícia-crime contra Bolsonaro por divulgar “informações confidenciais” sobre o sistema eleitoral brasileiro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), presidido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, que, por sinal, foi indicado ao cargo pela impeachmada Dilma Roussef (PT), apresentou, nesta segunda-feira (9), notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por, supostamente, divulgar “informações confidenciais” do inquérito sigiloso da Polícia Federal que investiga um ataque ao Sistema do Tribunal em 2018.

No documento, Barroso alega que a divulgação da informação poderia prejudicar o andamento das investigações e prejudicar os trabalhos. O TSE pede ainda que o delegado que lidera as apurações e o deputado Filipe Barros (PSL) sejam averiguados pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

- Há indícios, portanto, de que informações e dados sigilosos e reservados do Tribunal Superior Eleitoral tenham sido divulgados, sem justa causa, inicialmente pelo Delegado de Polícia Federal, e, na sequência, pelo Deputado Federal Felipe Barros e pelo Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro - cita o documento.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários