PEC para a impressão do voto eletrônico vai a plenário hoje

A PEC da impressão do voto eletrônico será votada, nesta terça-feira (10), pelo plenário da Câmara dos Deputados Federais. A sessão vai iniciar às 15 horas e será presidida por Arthur Lira (PP-AL).

A proposta é de autoria da deputada federal, presidente do CCJ e procuradora aposentada, Bia Kicis (PSL-DF), e, para ser aprovada, deve ter, no mínimo, 308 votos a favor em dois turnos.

Caso seja aprovada, a proposta segue para o Senado, onde serão necessários 49 votos.

O Governo Bolsonaro precisa que a alteração seja aprovada até outubro deste ano; para que a alteração no sistema eleitoral esteja válida nas eleições de 2022.

Arthur Lira disse, na sexta-feira (6), que o plenário será o “juiz final” para a implantação das impressoras acopladas às urnas eletrônicas.

- Para quem fala que a democracia está em risco, não há nada mais livre, amplo e representativo do que deixar o plenário manifestar-se. Só assim teremos uma decisão, inquestionável e suprema, porque o plenário é a nossa alçada máxima de decisão, a expressão da democracia, e vamos deixa-lo decidir - disse em pronunciamento à imprensa.

Nesta segunda-feira (9), o engenheiro Carlos Rocha, que liderou o desenvolvimento da urna eletrônica brasileira nos anos 90, afirmou, em entrevista à Jovem Pan, que o sistema eleitoral do Brasil precisa ser aperfeiçoado e que ele não é “100% seguro”.

- Estamos aqui há 25 anos depois que esse projeto nasceu. Chega uma hora que a gente precisa aperfeiçoar o sistema - defendeu.
- A urna eletrônica não permite a conexão pela internet, mas isso não quer dizer que ela não possa ser invadida - afirmou.
- O fato de que nunca houve fraude identificada não comprova em absoluto a segurança do sistema - completou, defendendo a descentralização do poder do TSE.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários