Biden manda afegãos “lutar por eles mesmos” e retira tropas do país

O presidente dos Estados, Joe Biden, afirmou, nesta terça-feira (10), que as tropas americanas deixarão por completo o Afeganistão até o dia 11 de setembro.

Os jornalistas rebaterão a informação, avisando a Biden que, com a saída dos militares, as forças talibãs avançam rapidamente contra a população, causando mortes e fugas em massa. Mesmo assim, o presidente avaliou que essa não deve ser uma preocupação do seu país.

- Gastamos trilhões de dólares por quase 20 anos, treinamos e demos equipamentos modernos para mais de 300 mil forças afegãs. Os líderes do país precisam se unir. Nós perdemos milhares de norte-americanos. Eles têm que lutar por eles mesmos, lutar pela nação deles. Os EUA, eu insisto, continuarão a cumprir com os compromissos que foram feitos, dando suporte aéreo, tendo certeza de que a força aérea deles está funcionando, dando equipamento, comida e pagando o salário deles. Mas eles precisam querer lutar - alegou.

Ele disse não estar arrependido de retirar as tropas do local, onde as áreas rurais do país, inclusive, em algumas fronteiras com o Irã, foram tomadas pelos rebeldes.

Mais de 95% das equipes americana já deixaram o território afegão e, agora, para conter a crise civil que se instalou no país, o Ministério da Defesa informou que várias operações foram realizadas em 12 províncias diferentes e terminaram com mais de 360 insurgentes mortos nas últimas 24 horas.

Milhares de pessoas fogem em massa do país.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários