Flordelis perde mandato e é presa pela morte do marido

A pastora e ex-deputada federal Flordelis foi presa preventivamente, na sexta-feira (13), em casa, em Niterói. Ela é acusada de ser a mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, assassinado na porta de casa em junho de 2019.

Pouco antes de ser algemada, ela divulgou um vídeo nas redes sociais pedindo oração.

- Olá, gente. Chegou o dia que ninguém desejaria chegar. Estou indo presa por algo que eu não fiz, por algo que eu não pratiquei. Eu não sei para quê, mas estou indo com força e com a força de vocês. Orem por mim. Orem, orem. Uma corrente de oração na internet. Busquem a Deus, está bom? Um beijo. Amo vocês - disse.

A prisão da ex-parlamentar ocorre dois anos e dois meses depois do crime e 48 horas após Flordelis ter o mandato cassado no plenário da Câmara dos Deputados. Ela tinha imunidade parlamentar.

O pedido de prisão foi acatado pela Justiça porque o Ministério Público concluiu que Flordelis atrapalhou as investigações sobre o caso, orientou réus e testemunhas e escondeu e eliminou provas importantes.

Ela responderá por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Além dela, irão a júri popular:

Flordelis dos Santos de Souza

Marzy Teixeira da Silva (filha adotiva)

Simone dos Santos Rodrigues (filha biológica)

André Luiz de Oliveira (filho adotivo)

Carlos Ubiraci Francisco da Silva (filho adotivo)

Rayane dos Santos Oliveira (neta)

Flávio dos Santos Rodrigues (filho biológico)

Adriano dos Santos Rodrigues (filho biológico)

Andrea Santos Maia (mulher do ex-policial Marcos)

Marcos Siqueira Costa (ex-policial)

Lucas Cezar dos Santos de Souza (filho adotivo)

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários