VÍDEO: Garota afegã chora. Jihadistas já estão fazendo lista para meninas serem “servas sexuais”

Após o Talibã assumir o poder no Afeganistão e várias pessoas serem vistas tentando entrar nos aviões americanos que levavam tropas aos Estados Unidos, uma menina afegã gravou um vídeo no qual expressa a angústia e o medo do povo diante do regime terrorista.

- Não contamos porque nascemos no Afeganistão. Não consigo evitar o choro. Ninguém se preocupa conosco. Morreremos lentamente na história - desabafa a garota, que teve a identidade omitida por questões de segurança.

Em outro vídeo compartilhado nas redes sociais, a jornalista e ativista iraniana de direitos humanos, Masih Alinejad, conta como é a realidade de quem tenta fugir do sistema.

- O Talibã entrou na cidade e estamos fugindo. Todo mundo está com medo. Este não é um clipe de um filme de terror, esta é a realidade em Cabul. Na semana passada, a cidade sediou um festival de cinema e agora eles fogem para salvar suas vidas. Comovente de assistir, mas o mundo não faz nada - denunciou.

Sob o governo do Talibã, meninas não podem frequentar a escola e mulheres só aparecem em público acompanhadas de homens. Já as burcas, são obrigatórias para todas, inclusive, estrangeiras de passagem pelo país.

De acordo com os residentes em Cabul, os homnes do Talibã já estão indo de porta em porta obrigar garotas de 12 anos a se casarem com eles. Há ainda uma outra lista sendo escrita por jihadistas para que as famílias ofereçam meninas para servidão sexual.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários