CPI: Ricardo Barros pede à PF que investigue vazamentos ocorridos dentro da comissão

O deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, afirmou, nesta segunda-feira (16), que pediu à Polícia Federal para investigar o vazamento de informações sigilosas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, no Senado Federal.

Barros disse, nas redes sociais, que “a imprensa recebeu nos últimos dias dados sigilosos relativos às investigações” e que “trocas de mensagens e áudios sob responsabilidade da comissão basearam reportagens divulgadas no fim de semana”.

- São dois crimes que precisam ser apurados e responsabilizados: o vazamento dos dados sigilosos e o abuso de autoridade - disse.
- Usa uma estratégia covarde para politizar a investigação - acrescentou.

Ele disse que “criticou duramente a estratégia dos senadores e questionou o motivo de o assunto não ter sido levantado quando ele esteve na CPI”. Barros ainda declarou que “foi à comissão, rebateu todas as acusações com documentos e que está pronto para voltar assim que for chamado”.

Por fim, garantiu que “a narrativa dos senadores da oposição não se sustenta” e que os opositores usam “a tática criminosa do vazamento para desgastá-lo e causar constrangimento”.

Barros quer que, comprovadas as irregularidades, os senadores ou servidores responsáveis por distribuir material sigiloso sejam condenados à perda do mandato ou cargo público.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários