Cuba e Venezuela devem mais de R$ 3 bilhões ao BNDES

A dívida dos regimes totalitários de Cuba e Venezuela com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já chega a R$ 3,539 bilhões (US$ 682 milhões). Durante os governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, vários empréstimos foram concedidos para financiar obras nos dois países.

Para investir verba pública em outros países, os ex-presidentes alegavam que os investimentos no exterior trariam oportunidades para empresas brasileiras. Mas, na verdade, as construtoras brasileiras estavam envolvidas em esquema de corrupção.

Foram realizadas obras em 15 países por meio de 148 operações e o prazo médio para quitação da dívida ficou em 11 anos e dois meses. Porém, Cuba, da Família Castro, recebeu um tempo maior para pagamento: 25 anos, foi para Cuba. Por lá, o governo do PT realizou uma grande obra: o Porto de Mariel. Já a Venezuela, foi beneficiada com a menor taxa de juros: 1,2%.

Embora tenham sido beneficiados com o “companheirismo brasileiro”, desde janeiro de 2018, os dois países estão inadimplentes. Cuba, por exemplo, não paga nem mesmo depois de infindáveis tentativas de acordo.

Em vídeo caseiro feito neste ano, o ex-ministro da Casa Civil no Governo do PT, José Dirceu, afirmou que, caso Lula ganhe as eleições de 2022 para a presidência, estenderá novamente a "mão amiga" para a gestão castrina.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários